Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



2003
V. foi trabalhar aos 13 anos para casa de uma família romena que possuía uma fábrica de ladrilhos. Enquanto me fala desse período, penso que tudo o que me conta parece pertencer a uma história de um romance da primeira parte do século passado. O membro tuberculoso que foi para um sanatório suíço, a família disfuncional, o ódio e violência entre irmão já adultos, o amigo alemão que vivia com uma namorada num anexo, o jovem suicida por mal de amor que, de vez em quando, dava boleia a V. até ao centro da cidade na sua mota side-car, a casa enorme com divisões fechadas, o jardim sempre bem cuidado e o fantasma com que V. me surpreende, uma vez que sei que não acredita nesse tipo de coisas, embora garanta que aquele era mesmo verdadeiro no seu arrastar de correntes pela casa, e que ela ouvia passar de noite junto à porta do seu pequeno quarto de criada. Divórcios, tragédias e rancores num bolo de infelicidade geral daquela família nessa longínqua década de 50, somente aplacada pela existência da criança, um pouco mais nova de que V., de que esta tratava. Talvez seja a memória dessa menina que a faz sorrir tanto enquanto fala.  
A sua ligação à família terminou quando V., com a ajuda de uma professora que a preparou para os exames, conseguiu fazer a 4ª classe e foi despedida quando disse à sua patroa que pretendia continuar a estudar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 15:03



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D