Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



1984
M conta-me a sua aventura do alto dos seus quinze anos.
Saiu de casa de madrugada. Deixou um bilhete aos pais a dizer que já era adulto e que estes não se preocupassem. Apanhou boleia de um camionista na EN1 e foi até ao Porto. Apareceu de surpresa em casa dos tios para jantar e estes, estranhando verem-no tão longe de casa, telefonaram aos pais de M, mas este já se tinha posto a caminho do seu destino, Vila do Conde, onde haveria de dormir ao relento na praia.
Comprou, na manhã seguinte, um bilhete para as corridas do campeonato nacional de velocidade. M é um apaixonado pelas competições automóveis e já me levou algumas vezes a ver rallies a Sintra e corridas ao Autódromo do Estoril.
No fim das provas, ao final da tarde, aproximou-se dos pilotos e mecânicos que arrumavam o material e pediu boleia para Lisboa. Um deles, Mário Silva, disse-lhe que o levava e, nessa noite, após um dia de quase completo jejum, uma vez que o dinheiro que levara era à justa para o bilhete das corridas, acabou por jantar rosbife com os pilotos num restaurante de luxo.
M surgiu em casa de madrugada, a mãe chorando o alívio das mais de vinte e quatro horas de insana preocupação que não a deixaram dormir.
Enquanto me conta a sua aventura, o ar de M é de naturalidade, como se fosse habitual fazer coisas assim. Mas eu, que sou cinco anos mais novo, não acho nada normal o que ele fez. Pelo contrário, acho que é a história mais espantosa e corajosa que já alguma vez me contaram.

 

VilaDoConde84.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 11:28



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D