Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O combustível do maratonista

por FH, em 11.01.18

2015

P começou por treinar para corridas de 10 quilómetros, depois para a meia-maratona e agora conseguiu, quase aos cinquenta, o sonho de completar a maratona.

Se lhe pergunto porque o faz, diz-me que é só uma questão de objetivos. Existe sofrimento, confirma. Existe também desconforto quando vai correr sozinho à noite, faça chuva ou calor, duas vezes por semana. As melhorias de tempos, o completar uma determinada distância em menos minutos do que da última vez, parece ser o combustível de que se alimenta esta sua vontade. São alvos para que aponta em solidão e que em solidão celebra. Durante as provas, os outros corredores não são adversários e a classificação não existe. Está ali para saber se se consegue atirar a si próprio a uma distância de 42 quilómetros, se tem a força fisica e mental para se arremessar tão longe.

No vídeo da maratona de Lisboa, quando está quase a cortar a meta, anónimo entre outros quase a passo, P faz um último sprint e corta a meta desse sonho de vida com os braços no ar, vitorioso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:27


1 comentário

Imagem de perfil

De P. P. a 11.01.2018 às 17:48

Admiro pessoas assim.

E... todo o desporto não deveria ser assim: "competição" por prazer, prevalecendo o prazer? Assim como os objetivos. Agora a perfeição, as guerras do futebol... Não, isso não.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D